Postagens

CAMINHO DOS PRÍNCIPES

Imagem
Passando pela BR 477 e outras rodovias do Planalto Norte Catarinense nos deparamos com uma placa que diz:                                 CAMINHO DOS PRÍNCIPES



Mas que caminho?  ... E que príncipes? Por que esta região é conhecida como Caminho dos Príncipes? ... Porque estas terras do Planalto Norte compunham parte do dote de casamento da Princesa Francisca Carolina, irmã de D. Pedro II quando se casou com o Príncipe de Joinville.
                Regiões Turísticas de Santa Catarina
D    Santa Catarina está dividida em dez regiões turísticas. A nossa região leva o nome pomposo de Caminho dos Príncipes.  . Pe No “Mappa Topographico” organizado pelo Engenheiro Diogo Rodrigues Vasconcellos e desenhado por Guilherme Thompson em 1890 constam as terras do Patrimônio Dotal de Altezas Imperiais (Zona Contestada entre os Estados do Paraná e  Santa Catharina).



Na região de Papanduva constam  inscritos, na ordem do sul para o norte: Salto do rio Itajahy. Alto Plaino do Papanduva. São Thomaz de Papandu…

SESSÃO SOLENE DE POSSE DE NOVOS ACADÊMICOS NA ACADEMIA DE LETRAS DO BRASIL/CANOINHAS

Imagem
Em 26 de outubro de 2017 tomei posse na Academia de Letras do  Brasil/Canoinhas, juntamente com  três confrades, em cerimônia presidida pela atual presidente  Soeli Regina da Silva Lima.


A Academia de Letras de Canoinhas fundada em 2014 é uma associação literária, filosófica e cultural.

O objetivo da Academia de Letras é a identificação de escritores, estímulo da leitura e da escrita e a organização de segmentos culturais no Planalto Norte.



Como deveria escolher um patrono, pessoa entre os grandes vultos da cultura brasileira, a escolha recaiu no nome do estadista Luiz Henrique da Silveira, figura única que marcou a história de Santa Catarina com um legado de bons exemplos e grandes obras. Consta de sua biografia, além de aspectos culturais e humanos, sua dedicação à causa pública.









Currículo de Sinira Damaso Ribas

FÁBRICA DE PALHÕES EM PAPANDUVA

Imagem
 FÁBRICA DE PALHÕES EM PAPANDUVA

Para quem não chegou a conhecer o produto palhão ou fábrica de palhões, escrevo algo que descobri. Há cem anos, havia em Papanduva uma fábrica de palhões para aproveitar a abundância da matéria prima que existia na sede e no interior.
Com a chegada dos eslavos a maior cultura do lugar era o centeio. Broa não poderia faltar. A palha que se originava normalmente deveria ser queimada na lavoura ou deixada nas roças para apodrecer e servir como adubo, teria uma utilidade. Além de o lavrador colher os grãos deste produto, vendia a palha para ter um ganho extra. Assim, várias carroças e carroções eram mobilizados no sentido de transportar esta palha para a fábrica em Papanduva para confecção de esteiras para exportação de bananas e capas para embalagens de garrafas. As esteiras e palhões eram transportados por carroções até Rio Negro (Mafra) e de lá ao litoral de Santa Catarina.


 Esta palha era costurada com o formato para encaixe de garrafas ou garrafões que as…

LANÇAMENTO DE DOIS TONS DE TEMPO

Imagem
Eis que lanço neste blog o meu conto “Dois Tons de Tempo” que faz parte da Antologia de Novas Vozes de Contos e Poesias da LURA Editorial. Este conto é minha primeira obra online que se hospeda em meu próprio blog, com possibilidade de se agregar comentários para que este texto componente de uma antologia possa ser ampliado, reduzido, retificado, ou reescrito a qualquer momento, dando margem ao aprimoramento. É uma obra interativa. A LURA EDITORIAL lançou sua primeira antologia compondo com dezautores. Cinco CONTOS e cinco POESIAS. Entre muitos escritores cinco contos foram escolhidos e entre eles “DOIS TONS DE TEMPO”. 
Antologia é uma coleção de trabalhos literários ou musicais usado para categorizar coleções de obras, tais como histórias ou romances curtos, escritos em prosa ou verso, em geral agrupados por temática, autoria ou período e em um único volume para publicação. Neste caso, a Lura Editora pediu um conto de ficção entremeado com a realidade com dez páginas no máximo. Assim cri…